China dá fim à política do filho único

Medida foi tomada pelo Partido Comunista da China (PCCh) por política ter provocado o rápido envelhecimento da população

Foto: nvtongzhisheng.org

O Partido Comunista da China  (PCCh), ao anunciar que todos os casais do país poderão ter até dois filhos,  colocou um fim a mais de 30 anos da polêmica política do filho único. A imposição que entrou em vigor em 1979 visava reduzir os problemas de superpopulação da China – que atualmente conta com aproximadamente 1,3 bilhão de habitantes. Mas, segundo o governo se, até então, a restrição imposta aos casais contribuiu para o desenvolvimento da nação, entre outros aspectos por ter tirado mais de 400 milhões de pessoas da pobreza somente nas últimas três décadas, ela também provocou o rápido envelhecimento da população que, em consequência, alcançou um patamar semelhante a dos países mais desenvolvidos.

Revista Leituras da História | Ed. 90