Cientistas confirmam que atmosfera da Lua já foi ativa

Da Redação | Foto: pt.wikipedia.org | Adaptação web Caroline Svitras

Se, atualmente, o satélite natural do nosso planeta apresenta uma atmosfera estável e de pouca densidade, graças às amostras da superfície lunar coletadas durante as missões Apollo 15 (1971) e Apollo 17 (1972), cientistas que detectaram componentes de vários gases nelas, entre os quais monóxido de carbono e enxofre, revelaram que há 3.500 anos a Lua contava com uma atmosfera transitória, formada a partir das erupções de vulcões, cuja pressão superficial era 1,5 vez maior que a de Marte e densidade atmosférica correspondente a 1% a da Terra. Tal condição persistiu por 70 milhões de anos antes de desaparecer no espaço. “Esse estudo muda drasticamente a forma como nos acostumamos a ver a Lua: de um corpo rochoso sem ar, a um que esteve coberto por uma atmosfera mais dominante que aquela que rodeia o Planeta Vermelho nos dias de hoje”, evidenciou David Kring, coautor do estudo e membro da Associação de Universidades de Investigação Espacial.

 

Para saber mais garanta a sua revista Leituras da História Ed. 108 aqui!