Cientistas encontram fóssil humano do período glacial

Da Redação | Foto: INAH-SAS | Adaptação web Caroline Svitras

Cientistas dos Estados Unidos e do México, ao mergulharem no fundo da caverna subaquática Hoyo Negro, que no último período glacial serviu de passagem para seres humanos e animais que viveram na Península de Yucatan, conseguiram recuperar restos arqueológicos de várias espécies do Pleistoceno. Entre elas, destacam-se ursos-beiçudos gigantes (incluindo uma espécie completamente nova), ursos-de-face-curta, leões da montanha, tigres-dente-de-sabre, gonfotérios (parente do elefante), tapires e até um ser humano (na imagem), que datam de aproximadamente 13 mil anos. “A preservação dos materiais fósseis é extraordinária e nos permitirá reconstruir vários aspectos da anatomia, das relações evolutivas e do comportamento dos seres vivos da época. A diversidade da fauna nos mostra uma imagem nova e emocionante dessa região no meio de uma rápida alteração climática e ambiental”, explicou Blaine Schubert, um dos pesquisadores do projeto.

 

Revista Leituras da História Ed. 107

Adaptado do texto “Novos fósseis do período glacial”