Confira 3 acontecimentos da História

Da Redação | Foto: EPA

Banheiro milenar é descoberto em Jerusalém

Autoridade de Antiguidades de Israel revelou que, enquanto iniciava a troca do piso da sala de estar de uma residência do vilarejo de Ein Karem, em Jerusalém, uma família descobriu um banheiro de 2 mil anos destinado a rituais judaicos – cuja idade foi determinada por arqueólogos graças aos fragmentos de vasos de cerâmica encontrados no local. Embora a reforma tenha continuado, um alçapão coberto por um tapete sinaliza o ponto onde uma escadaria de pedra leva à antiga câmara, que tem 3,5 m de comprimento, 2,4 m de largura e 1,8 m de profundidade. Apesar das referências do Novo Testamento à Cidade da Judeia e Ein Karem ser apontado como o local de nascimento de João Batista, resquícios arqueológicos dos tempos de Jesus raramente são encontrados no vilarejo (na imagem, Tal Shimshoni, proprietário da casa, dentro da antiga piscina de imersão que mede aproximadamente 11 pés de comprimento e 7 pés de diâmetro).

 

Pega das humanas de 13 mil anos

Foto: Joanne McSporran/Hakai Institute

Após a descoberta de uma pegada fossilizada às margens da ilha Calvert, que fica a 500 quilômetros ao noroeste de Vancouver, uma equipe de arqueólogos revelou, que mais 12 pegadas, provavelmente de dois adultos e de uma criança, haviam sido encontradas na localidade. De acordo com testes de carbono 14, elas teriam mais de 13 mil anos e, por serem as mais antigas descobertas até então na América do Norte, apoiariam uma nova teoria, que afirma que os primeiros habitantes povoaram o continente pelo Alasca e, depois, viajaram de barco pela costa em vez de caminhar pelo interior das terras. “Não há qualquer maneira de ir à ilha Calvert se não for de barco, e isso é tão certo agora quanto há 13.000 anos”, ressaltou Duncan McLaren, da Universidade de Victoria, de Colúmbia Britânica.

 

Buraco negro registra atividade

Foto: ESA/ATG medialab

De acordo com o Instituto de Astrofísica das Canárias (IAC), graças ao grande telescópio do Observatório de Roque de los Muchachos (que fica em La Palma, uma das Ilhas Canárias, Espanha), astrônomos de todo mundo observam, pela primeira vez, o momento em que um buraco negro, inativo desde 1989, consome e expulsa uma massa procedente de uma estrela vizinha, que orbita na constelação Cisne, à quase 8 mil anos luz da Terra. Ambos os objetos formam um sistema binário que recebeu o nome de V404 Cygni. Segundo explicou Teo Muñoz-Darias, pesquisador do IAC, o descobrimento desse tipo de sistema ocorre somente em momentos de erupção, como o que está sendo observado agora. “De fato, a V404 Cygni foi identificada e teve a massa medida graças à última grande erupção de raios X, em 1989. Até então se pensava que ela era uma estrela variável tipo nova”, concluiu Darias (na imagem, concepção artística do sistema binário ativo).

 

Revista Leituras da História Ed. 85