Crise imigratória amedronta a Europa

 

Foto: Achilleas Zavallis

Pesquisa de opinião global realizada pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) com mais de 16 mil pessoas em 22 países, incluindo Reino Unido, Alemanha, Itália, Japão e Rússia, revelou que 60% dos entrevistados acreditam que extremistas islâmicos estão fingindo ser refugiados. Cerca de 40% deles também disseram que querem que as fronteiras de seus respectivos países sejam fechadas, medida que tem maior adesão na Turquia, Índia e Hungria.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), embora as ameaças à segurança sejam uma preocupação, aqueles que estão fugindo de perseguição ou de conflitos precisam ser protegidos. “Como em qualquer população, há pessoas que são criminosas. Mas não podemos esquecer que a grande maioria dos refugiados respeita a lei. Portanto não deveríamos demonizá-los ou vê-los como criminosos e terroristas, porque não é este o caso, disse William Spindler, porta-voz do Acnur.
Revista Leituras da História Ed. 96