Entenda a história dos nazistas em oração

Da Redação | Foto: Rare Historical Photos | Adaptação web Caroline Svitras

A Imagem para História destaca a 13ª Divisão de Montanha da Waffen SS Handschar, formada, em sua grande maioria, por muçulmanos bósnios que faziam suas orações costumeiras de acordo com o Islamismo. Tal iniciativa partiu do Grande Mufti Haj Amin al Husseini, líder religioso muçulmano e também líder nacionalista árabe-palestino que, após tentar um golpe fracassado no Iraque, teve que se exilar na Itália, de onde partiu para Berlim, cidade onde se aproximou de Hitler. A partir daí, com permissão do Führer, ele estabeleceu contatos com os líderes muçulmanos da Bósnia e da Albânia, na intenção de angariar apoio à Alemanha.

 

Em consequência, no ano de 1943, pouco depois que os nazistas conquistaram a Croácia que, na época, incluía a Bósnia-Herzegovina, Husseini conseguiu reunir 21.065 bósnios muçulmanos na divisão nazista citada. Apesar dos esforços dele, dois fatores também cooperaram com a formação da unidade. Além da crença do comandante da SS Heinrich Himmler, que dizia que o povo croata, que sempre fora tido como eslavo, na verdade, tinha ascendência ariana, os demais comandantes alemães também perceberam que a nova divisão iria ajudá-los a conquistar a simpatia dos muçulmanos do mundo inteiro.

 

“Um povo, um império, um Líder!”

 

Dessa forma, a 13ª unidade adquiriu força e conduziu operações contra os comunistas nos Bálcãs. Já em fevereiro de 1944, ela ainda tornou-se responsável por atrocidades praticadas contra civis, em especial prisioneiros judeus. No entanto, como Husseini queria que a Luftwaffe bombardeasse até Tel Aviv, há quem atribua a ele a influência nefasta sobre os muçulmanos bósnios, que foram incentivados a assassinar o povo combatido pelos nazistas tanto no Norte de África quanto na Palestina.

 

Quer mais curiosidades? Garanta a sua revista Leituras da História clicando aqui!

Leituras da História Ed. 101