Exército de Terracota pode ter inspiração europeia

Da Redação | Foto: Creative Commons | Adaptação web Caroline Svitras

Dois milênios após sua criação e anos depois de sua descoberta, o debate sobre a origem do Exército de Terracota de Xian, na China, é acirrado novamente, devido aos mais recentes achados que apontam para uma possível influência grega. Tal hipótese é defendida por um grupo de arqueólogos que, depois de trabalhar em mais uma escavação, acredita ter encontrado provas que indicam que o conjunto de mais de 7 mil estátuas de guerreiros que o primeiro imperador chinês, Qin Shihuang, construiu para seu mausoléu, teve uma inspiração externa. Tal suposição é fundamentada em documentos históricos. “Se o Siji apenas menciona as 12 estátuas de bronze erguidas em frente  o palácio, o Houhansu já narra que o imperador conheceu 12 gigantes do Ocidente e, então, mandou construí-las. Além disso, plantas de DNA europeu, encontradas em esqueletos da região de Xinjiang, também indicam presença ocidental anterior ao reinado de Qin Shihuang”, explicou a pesquisadora Li Xiuzhen.

 

Revista Leituras da História Ed. 98