Operação Carne Fraca nos Estados Unidos

Em 1906, um escândalo de proporções econômicas imensuráveis fez o presidente norte-americano Theodore Roosevelt criar uma Lei Federal de Inspeção da Carne

Por Morgana Gomes | Foto: Library of Congress Prints and Photographs Division Washington | Adaptação web Caroline Svitras

Recentemente, graças à mídia, tivemos contato com a chamada Operação Carne Fraca que, após ser iniciada em 17 de março, acusou mais de 30 empresas de comercializar carne estragada, mudar a data de vencimento e maquiar o aspecto delas, bem como usar produtos químicos supostamente cancerígenos para melhorar o produto final – causando um mal-estar de alcance mundial com resultados econômicos catastróficos. Isso nos remete a um episódio mais drástico ocorrido no início do século 20, nos Estados Unidos, no momento em que Upton Sinclair (1878-1968), na época com 28 anos, lançou o romance The Jungle. Apesar da intenção dele ter sido apenas a de retratar as péssimas condições de vida dos imigrantes, tanto de Chicago quanto das demais cidades dos Estados Unidos, a obra acabou assombrando os consumidores em geral.

 

Tudo começou em 1904. No início daquele ano, o jornal socialista Appeal to Reason recebeu uma denúncia sobre uma indústria de embalagens de carnes em Chicago e, então, decidiu encomendar uma série de matérias ao jovem escritor. De forma investigativa, Sinclair passou sete semanas trabalhando incógnito nos frigoríficos da cidade somente para coletar informações. Ao mesmo tempo, os artigos que produzia já iam sendo publicados de maneira seriada pelo periódico.

 

Apesar do choque provocado pelas matérias, o escritor queria mais e, após reunir todas as publicações, resolveu compor uma ficção baseada em fatos reais, que foi rejeitada por cinco editores que consideraram a obra final ferina demais. Passado um ano e sem mais alternativas, Sinclair decidiu autopublicar uma versão abreviada de seu próprio trabalho. Intitulado The Jungle Publishing Company, a capa dele traria a impressão de símbolo do Partido Socialista e uma dedicação especial “Para os Trabalhadores da América”. Mas enquanto ainda eram impressos os 5 mil exemplares encomendados, a Editora Doubleday também resolveu arriscar no projeto que, por sua vez, recebeu o nome de The Jungle. Pouco depois, em 28 de fevereiro de 1906, ambas as publicações chegaram simultaneamente ao mercado e, a partir daí, provocaram um imenso escândalo que, ao ecoar nos jornais, tomou conta dos Estados Unidos.

 

Para conferir a matéria na íntegra garanta a sua revista Leituras da História Ed. 103 aqui!

Adaptado do texto “Déjà-vu”