Primeira Guerra Mundial eclodiu como uma somatória de conflitos na Europa

Logo após o assassinato do príncipe Austro-Húngaro Francisco Ferdinando, em Sarajevo, eclodiu a 1ª Guerra Mundial

Por Morgana Gomes | Foto: Reprodução/Wikipedia | Adaptação web Caroline Svitras

De início, principalmente na Frente Ocidental, houve certo equilíbrio entre as forças rivais, devido à movimentação das tropas por terra. Pouco depois, durante a chamada guerra de trincheiras, o impasse entre as forças de ambas as alianças se estabeleceu, provocando o desgaste dos Exércitos inimigos. Por fim, com a entrada dos Estados Unidos no conflito mundial, a Alemanha, que atravessava uma grande crise interna, viu-se obrigada a se render aos Aliados.

 

Até aqui, não há nenhuma novidade relevante desse capítulo negro da história da humanidade. Porém, como esta edição prima por imagens, o grande destaque cabe aos registros fotográficos, muitas vezes anônimos, que poderão ser vistos a seguir. Entre batalhas, situações vivenciadas em campo e trincheiras, feridos e corpos abandonados, também há algumas fotos que revelam tanto o medo diante da morte quanto o anseio pela paz, sentimentos impossíveis de ser descritos com simples palavras que, na maioria das vezes, mostram-se ineficientes para retratar as atrocidades ocorridas entre 1914 e 1918.

 

Estopim do conflito

O assassinato a tiros de Francisco Ferdinando, príncipe do império austro-húngaro, e de sua esposa, a duquesa Sofia de Hohenberg, durante a visita que faziam a Sarajevo, teve consequências inimagináveis. As investigações levaram ao criminoso Gavrilo Princip, um jovem integrante de um grupo sérvio chamado “Mão Negra”, contrário à influência da Áustria-Hungria na região dos Bálcãs. Mas, como o Império Austro-Húngaro, apoiado pela Alemanha, mostrou-se contrário às medidas tomadas pela Sérvia em relação ao crime, no dia 28 de julho de 1914, declarou guerra a aquele país. Um dia depois foi iniciado o bombardeio de Belgrado, seguido pela invasão alemã da Bélgica, Luxemburgo e França, além de um ataque russo contra a Alemanha. Criado um impasse depois da marcha alemã em Paris, a Frente Ocidental se estabeleceu em linha de trincheira, onde realizava uma batalha de atrito estático, que pouco mudou até 1917. Por sua vez, na Frente Oriental, o exército russo que lutava e obtinha sucesso contra as forças austro-húngaras, devido à ação do exército alemão, foi forçado a recuar tanto da Prússia Oriental quanto da Polônia.

 

O príncipe do império austro-húngaro e sua esposa minutos antes do assassinato | Foto: The LIFE Picture Collection/Getty Images

 

Pouco depois, quando o Império Otomano entrou na guerra em 1914, Itália e Bulgária em 1915, e Romênia em 1916, surgiram as frentes de batalha adicionais que, entre outras ações, ocasionaram o fechamento das rotas comerciais do Mar Negro. Como consequência, em março de 1917, enquanto o Império Russo entrava em colapso, logo após a Revolução de Outubro, a Rússia deixou a guerra.

 

A Alemanha aproveitando-se da situação empreendeu, em 1918, uma grande ofensiva ao longo da Frente Ocidental, mas os Aliados, já com a ajuda dos Estados Unidos que começaram a entrar nas trincheiras, conseguiram forçar o recuo dos exércitos da Alemanha, que, devido a problemas internos, concordou com o cessar-fogo em 11 de novembro de 1918, episódio que mais tarde ficou conhecido como Dia do Armistício.

 

Infantaria alemã em campo de batalha no dia 7 de agosto de 1914 | Foto: Underwood & Underwood. (US War Dept.)

 

Com a vitória dos Aliados, a guerra terminou, ao mesmo tempo em que os impérios Alemão, Russo, Austro-Húngaro e Otomano deixavam de existir. Os estados sucessores tanto dos impérios Alemão quanto Russo perderam uma grande parte de seu território, enquanto os outros foram completamente eliminados do mapa da Europa central, que passou a ter vários países menores.

 

Em agosto de 1914, quando o exército alemão começou a avançar sobre a Bélgica, dezenas de milhares de refugiados civis abandonaram suas casas para escapar da guerra | Foto: Imperial War Museum

 

Na época, a Liga das Nações, organização precursora das Nações Unidas, foi criada na intenção de evitar outro conflito de magnitude semelhante. Falhou em virtude do nacionalismo europeu provocado pela guerra, a separação dos impérios, as repercussões da derrota da Alemanha e os problemas com o Tratado de Versalhes, fatores que contribuíram para o início da Segunda Guerra.

 

Para saber mais garanta a sua revista Leituras da História Ed. 103 aqui!

Adaptado do texto “O contexto da destruição”