Saiba mais sobre as civilizações pré-colombianas

Também conhecidos como indígenas americanos, as civilizações pré-colombianas, que já habitavam a terra descoberta por Cristóvão Colombo, surpreenderam a todos com seus valores culturais desenvolvidos

Por Ariani Alencar | Fotos: Shutterstock | Adaptação web Caroline Svitras


Civilização maia, a mais avançada da América pré-colombiana

Os maias são os povos que habitaram, entre os séculos 3 e 9, a Mesoamérica, região das florestas tropicais em que, atualmente, encontra-se a Guatemala, Belize, Honduras, El Salvador e o sul do México. Além deles, outras culturas também viviam no local, astecas, teotihuacan, toltec, quiche-maia, olmec etc., ou seja, a civilização maia era a junção de vários grupos étnicos. Os maias dominavam a escrita e registravam seu cotidiano por meio dela, sendo os primeiros a ter um registro histórico. Sem contar seus brilhantes calendários, que diziam quando plantar e colher, sobre os dias malditos, enfim, um objeto que ultrapassava a mera contação dos dias.

 

Essa civilização não formou um império unificado e havia diversos centros urbanos independentes, mas como em toda sociedade existe a segregação, com os maias não foi diferente. Nobres, sacerdotes, administradores do império e chefes militares habitavam a zona urbana. Já os trabalhadores urbanos, camponeses e artesãos, classe menos privilegiada, viviam em outras regiões e eram obrigados a trabalhar e a pagar impostos com valores exorbitantes.

 

A agricultura era a base da economia, principalmente de feijão, milho, tabaco, algodão e tubérculos. Todos os produtos excedentes eram comercializados. Além da avançada técnica de irrigação, os maias apresentavam um amplo avanço arquitetônico, comprovado por meio da construção de seus palácios, templos e pirâmides. Inúmeros arcos, templos e colunas eram construídos em homenagem aos deuses celebrados pela cultura maia, pois a religião ocupava um espaço grande na vida dessa civilização. Acreditavam em diversos deuses ligados à natureza, na vida após a morte e realizavam sacrifícios humanos assiduamente.

 

O feito mais incrível, além do desenvolvimento da matemática e do conhecimento da astronomia, era a sua escrita (hieróglifos), cujos signos podiam representar ideias, sons ou os dois simultaneamente. Considerados mais avançados tecnologicamente que os europeus, o seu colapso se deu por volta do século 9º, mas seu verdadeiro motivo permanece misterioso para historiadores, arqueólogos, antropólogos e para o senso comum.

 

Civilização asteca, os últimos do planalto mexicano

Povo guerreiro que se desenvolveu entre os séculos 14 e 16, na região do atual México. Responsáveis por fundar a cidade de Tenochtitlán, atual Cidade do México. Assim como os maias, os astecas também viviam em uma sociedade hierarquizada, entre nobres e pobres. A classe baixa se via obrigada a trabalhar para o imperador, em canais de irrigação, estradas, templos, entre outros. O seu governo era monárquico e, o poder do rei, hereditário. Suas técnicas agrícolas eram muito desenvolvidas, plantavam milho, tabaco, cacau etc., inclusive, as sementes de cacau eram as moedas daquele povo.

 

Os astecas também acreditavam em vários deuses na natureza, além de uma deusa representada por uma serpente emplumada. Construíram pirâmides e templos para os cultos religiosos, que contavam com sacríficios humanos, pois acreditavam que, assim, os deuses ficariam mais felizes e calmos. Sua escrita era feita por meio de desenhos e símbolos, desenvolveram conceitos de astronomia e matemática e modificaram o calendário maia. O artesanato era presente, tendo destaque para os objetos de ouro e prata, confecção de tecidos e artigos com pinturas. Eles se sobressaíram também no campo da literatura, deixando vários livros nos colégios dos nobres. O fim desse vasto império se deu quando espanhóis massacraram milhares deles em Tenochtitlán.

 

 

Civilização inca, os habitantes de Machu Picchu

Desenvolvida na região da Cordilheira dos Andes, atualmente Peru, Bolívia, Chile e Equador, os incas foram os responsáveis por fundar a capital de seu império, a sagrada cidade de Cusco. Assim como os outros povos, eles também viviam em uma sociedade formada por nobres e pobres. Exímia na arquitetura, essa civilização construiu grandes palácios, templos e casas. Além de ter uma rica plantação, que contava com feijão, batata e milho. Na religião, a divindade principal era o deus Sol, conhecido como deus Inti, mas também adoravam animais tidos como sagrados: o condor e o jaguar. Foram os criadores do sistema de contagem, chamado quipo, objeto de cordões coloridos, em que cada cor representava uma contagem. Assim como seus conterrâneos, eles foram dominados pelos espanhóis.

 

Mesmo resumidamente, percebemos a fartura da cultura dos pré-colombianos e como eles forame importantes para a evolução da nossa história. A arqueologia continuará a sua busca para desvendar os enigmas acerca desses povos e nós permaneceremos na expectativa de mais descobertas enriquecedoras para somar na nossa bagagem cultural.

 

Revista Leituras da História Ed. 65

Adaptado do texto “Civilizações além de suas épocas…”