Saiba tudo sobre a maçonaria, a maior irmandade do mundo

Acusada de todos os males por alguns, verdadeira escola de humanismo para outros, há quase três séculos, essa sociedade secreta elitista discreta não para de intrigar. Saiba tudo sobre a maçonaria

Texto Redação | Foto Shutterstock

Não se sabe com certeza quando exatamente surgiu, de fato, a maçonaria. O registro histórico mais antigo remonta a 1717, que é a abertura da grande Loja de Londres – inaugurada na Inglaterra e conhecida como a fase da maçonaria especulativa. Mas alguns estudiosos dizem que seu início vem de uma espécie de Sindicato de Pedreiros da Idade Média, inclusive o termo “maçom livre” aparece em registros da cidade de Londres desde 1375.

Por definição, a palavra maçonaria, que veio do francês, quer dizer: trabalho ou arte do pedreiro. Em inglês, a tradução é a mesma para a palavra “freemasonry”. Muitos pesquisadores acreditam que a origem dessa sociedade secreta pode estar no Egito Antigo, que já carregavam grandes construções e os segredos de seus construtores. Uma reunião de construtores medievais, que se reuniam para preservar a integridade do segredo da arte de construir. Não é à toa, que essa organização possui símbolos importantes como o esquadro, a régua e o cinzel.

Com a chegada do Renascimento, a maçonaria tomou fôlego e passou a ser frequentada por figuras ilustres da aristocracia inglesa. A sociedade ganhou ares culturais e a busca pelo desenvolvimento da consciência humana por meio de rituais de iniciação e cerimônias passou a ser uma de suas principais características.

A maçonaria não é uma sociedade religiosa. Mas é fundamental aos seus participantes acreditarem em Deus – e que seja ele o Deus judeu, dos cristãos ou dos muçulmanos. Dentro da filosofia maçônica, o Criador é sempre referido como o Grande Arquiteto do Universo.

Em termos genéricos, podemos definir maçonaria como uma associação fraternal, possuidora de uma organização baseada em rituais e símbolos na qual o segredo ocupa papel fundamental. “É uma instituição que foi e permanece sendo acessível principalmente ao sexo masculino (devemos considera que ao longo da sua história, em especial nas últimas décadas, cresceu o número de maçonarias mistas ou femininas o que gera polêmica e debate na maçonaria internacional) e que tem por objetivos o aperfeiçoamento intelectual da sociedade, de seus filiados, e a promoção da ação filantrópica interna e externa; caracteriza- se por não orientar política e religiosamente seus membros”, explica Eliane Lucia Colussi, mestre e doutora em História pela PUC-RS, professora titular do curso de História da Universidade de Passo Fundo e autora de diversas obras, entre elas: A Maçonaria Gaúcha no Século 19 e A Maçonaria Brasileira no século 19.

Organização

→ A maçonaria se divide ao redor do mundo em lojas, que são os locais onde são feitas reuniões e captação de novos membros. Estima-se que existam atualmente mais de 5 milhões de participantes, todos separados ao redor do planeta em milhares de lojas. As várias lojas são ligadas à Grande Loja da Inglaterra, local onde, no século 18, surgiu a maçonaria.

→ A sociedade utilizava um calendário próprio e diferente da era Vulgar. No século 18 e no começo do século 19, obtinha-se a era maçônica acrescentando-se 4 mil anos ao ano em curso, assim, o ano de 1750 era igual a 5750. O ano maçônico vai de 1º de março de um ano a 28 de fevereiro do ano seguinte.

→ A maçonaria se divide também em simbólica e filosófica. As lojas simbólicas funcionam apenas com os três primeiros graus; as filosóficas, com os graus acima do quarto.

Cerimônias: a maçonaria desenvolve seus trabalhos em dois tipos de cerimônias: as de caráter fechado e as abertas. No caso das sessões fechadas, realizam-se cerimônias de iniciação, filiação e colação de graus, recepção de companheiros, reuniões de debate dogmático, entre outras.

→ Nas sessões abertas, quando familiares e amigos são convidados, ocorrem os batizados ou adoção de lowtons, o casamento e a pompa fúnebre.

→ O batizado ou adoção de lowtons é dirigido aos filhos de maçons com idade de até 14 anos, para ambos os sexos; a adoção compromete a loja a zelar pelo adotado.

→ O casamento maçom reconhece o ato anteriormente realizado no civil e no religioso.

→ Nos funerais, a pompa tem como significado a despedida do maçom, que, ao morrer, segundo a crença maçônica, é transferido para a eternidade.

→ Para ingressar na maçonaria, a pessoa deve ser convidada por um maçom; ele é investigado para que a instituição tenha certeza de que não exista nada que o desabone ética e moralmente.

Os ritos e graus

Os ritos constituem o sistema das organizações maçônicas. Representam ramos particulares da associação, cada qual com um conjunto de regras. A diferença entre os diversos ritos é o número de graus com o qual cada maçonaria realiza as cerimônias do rito.

Os graus representam as várias etapas (3 a 33) que o maçom deve evoluir. Cada rito é livre para ter quantos graus desejar. Todos os ritos possuem os três primeiros (aprendiz, companheiro e mestre). Atualmente, são praticados no mundo mais de setenta, os mais conhecidos são: o rito Adonhiramita (13 graus); o Americano (9 graus); o Escocês Antigo e Aceito (33 graus); e o Francês ou Moderno, com sete graus.

Revista Leituras da História | Ed. 91