Transmissores a serviço do povo

Da Redação | Foto: Josef Koudelka/Magnum Photos | Adaptação web Caroline Svitras

 

No anoitecer de 21 de agosto de 1968, enquanto tanques do Pacto de Varsóvia invadiam a cidade de Praga, para eliminar a liberalização política implantada na Tchecoslováquia, vários pequenos transmissores construídos às pressas, tanto por membros do exército tcheco quanto por aficionados da Rádio Tchecoslováquia Livre, quase que espontaneamente, organizaram o povo para desnortear as tropas inimigas. Na ocasião, cada emissora transmitia instruções, nas quais pediam calma e a não colaboração com os invasores, mas nunca por mais do que 9 minutos e, depois saia do ar, dando o espaço para outra, impossibilitando, assim, a triangulação do sinal.

 

Os russos ainda tentaram trazer uma potente estação de rádio para criar interferências, porém, os ferroviários tchecos, com extrema competência, atrasaram a entrega e, quando os aparelhos chegaram ao seu destino final, ele já estava totalmente inutilizado.

 

Revista Leituras da História Ed. 91