Vestígios da bíblica cidade de Ezequias

Da Redação | Foto: Israel Antiquities Authority | Adaptação web Caroline Svitras

Após meses de escavações, arqueólogos israelenses descobriram um santuário do século 8º a.C., no Parque Nacional Tel Lachish, entre o Monte Hebrom e o Mar Mediterrâneo, em Israel, cujos altares foram intencionalmente destruídos, tanto que uma latrina de pedra — nunca usada — foi instalada entre eles, na intenção de profanar a sala sagrada. Como no local também já foram escavados um grandioso portão, resquícios de bancos com apoio para os braços, seis câmaras divididas por uma rua central, alguns cômodos, diversos jarros e frascos, alguns com selos reais, além de pontas de flechas e pedras de fundas, que indicam batalhas corpo a corpo na entrada da cidade, em consenso, os pesquisadores passaram a afirmar que tais evidências vão de encontro à censura e à idolatria, conforme descreve a Bíblia. “Essa descoberta é um exemplo iluminado do verso que descreve o rei Ezequias”, enfatizou Zeev Elkin, ministro de Jerusalém e de Proteção do Patrimônio e do Meio Ambiente.

 

Veja mais descobertas na revista Leituras da História Ed. 98